Notícias

A seccional baiana da Ordem dos Advogados do Brasil divulgou neste sábado (13) nota de repúdio a violações de prerrogativas profissionais de uma advogada e aos direitos fundamentais das mulheres por conta da detenção de 73 integrantes da delegação baiana à 4ª Conferência Nacional de Políticas para Mulheres. O grupo foi retido para esclarecimentos à Polícia Federal após se manifestar contra a deputada Tia Eron (PRB-BA) durante um voo de Salvador para Brasília.

“No último dia 10 de maio, 73 mulheres baianas integrantes da delegação que participaria da 4ª Conferência Nacional de Políticas para Mulheres foram impedidas de desembarcar do voo JJ 3437 da TAM pelo Comandante da aeronave, sob a justificativa que tumultuaram a viagem e colocaram em risco a segurança da aeronave ao levantarem protestos de ordem contra o posicionamento dos deputados federais Jutahy Magalhães Júnior e Tia Eron durante o processo de impeachment da Presidente Dilma Rousseff”, aponta a nota. A OAB afirma que as prerrogativas dos advogados e advogadas das mulheres que compunham a delegação foi violada, pois eles “ficaram impedidos de ter acesso ao local e de prestarem assistência às mulheres detidas”.

“Tais condutas, além de atentarem contra os direitos humanos pela privação da liberdade e pela incomunicabilidade das integrantes da delegação baiana sem justo motivo”, diz a nota. A entidade ainda acusa o delegado da Polícia Federal do aeroporto de Brasília de impedir o livre exercício das atividades da Comissão de Proteção aos Direitos da Mulher da OAB/BA, por não ter permitido que a advogada Renata Deiró tivesse acesso ao local e conversasse com as mulheres detidas.

Fonte:Bahia Notcias
voltar   home   subir  imprimir
  Curta nossa página
  PUBLICIDADE

| Todos os Direitos Reservados |