Blog Santo Antônio
Notícias

Nesta sexta-feira (15), o cantor Gusttavo Lima usou as redes sociais para informar que enviou ajuda para Manaus (AM). Nos stories do Instagram, ele mostrou fotos de cilindros de oxigênio prontos para serem enviados para hospitais da capital amazonense.

– O oxigênio está a caminho, Manaus. Tudo sendo preparado – destacou ele.

Publicação de Gusttavo Lima Foto: Reprodução

 

O cantor já tinha revelado, na quinta-feira (14), que tinha garantido 150 cilindros para enviar.

– Estamos desenhando toda a logística e sábado estará chegando em Manaus 150 cilindros de oxigênio. Estou com todos vocês, manauaras – avisou.


Sertanejo avisou que enviaria ajuda Foto: Reprodução

 

 

Além dele, famosos como Wesley Safadão e Whindersson Nunes, entre outros, se mobilizaram para ajudar a população de Manaus.

A empresária Bete de Dezembro usou as redes sociais, nesta sexta, para confirmar a doação de Gusttavo Lima. No Instagram, ela revelou que os cilindros providenciados pelo sertanejo já estavam prontos para chegarem, no sábado 916), em Manaus.

– Tudo organizado. Amanhã antes do almoço estará em Manaus. Gusttavo Lima, em nome do povo do Amazonas, gratidão – escreveu Bete.

Publicação da empresária Bete de Dezembro Foto: Reprodução
Fonte: Pleno News

Pelo menos desde o dia 23 de novembro, a Secretaria de Saúde do Amazonas sabia que a quantidade de oxigênio hospitalar disponível seria insuficiente para atender a alta demanda provocada pela pandemia de Covid-19.

A informação consta de projeto básico, que foi elaborado pela própria pasta, para a última compra extra do insumo, realizada no fim do ano passado. A White Martins informou que, se o contrato tivesse previsto um pedido maior na oportunidade, a empresa teria conseguido atendê-lo.

O contrato original para aquisição de gases medicinais do sistema de saúde é de 2016 e foi assinado com a White Martins, a principal fornecedora no Amazonas, com valor mensal informado de R$ 1,3 milhão. Inicialmente, o acordo previa o atendimento de até dois mil pacientes respiratórios.

Em 2018, ainda antes da pandemia, a secretaria chegou a assinar dois aditivos que, juntos, representavam acréscimo de 3,1% do valor. Como o teto permitido é de até 25% (acumulado) em cada contrato, o Estado ainda tinha uma margem de 21,9% para adquirir insumos em 2020, sem a necessidade de abrir um novo processo de contratação.

Toda essa cota, no entanto, foi usada na última compra extra em novembro. Na ocasião, a pasta ainda informa a inclusão “com urgência” do Hospital Geraldo da Rocha, em Manaus, na lista de unidades atendidas.

O projeto para o aditivo é de 23 de novembro. No documento, a secretaria também admite que os casos do novo coronavírus já estavam em alta na época e que o volume de oxigênio contratado não seria suficiente para dar conta da demanda.

– No Estado do Amazonas os casos de Covid-19, no mês de setembro, vêm apresentando alta crescente de casos confirmados. O percentual de 21,9152% disponível para aumento não atende as necessidades desta Secretaria, a alta crescente nos números de casos confirmados da Covid-19 e o pronunciamento até a presente data da Diretora da FVS (Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas) quanto a uma possível 2ª onda da pandemia – dizia a pasta.

Segundo o Portal da Transparência do Amazonas, os itens do aditivo incluíam um total de 307 mil metros cúbicos de oxigênio líquido e 6,1 mil na forma de gás, que são usados para pacientes internados por coronavírus. Também foram comprados outros gases hospitalares para procedimentos médicos diversos.

SECRETARIA DE SAÚDE DIZ QUE COMPROU TODO O INSUMO
Questionada sobre quais as medidas foram tomadas para evitar o desabastecimento e se houve tentativa de novas compras emergenciais ou buscas por novos fornecedores no período, a pasta não respondeu às perguntas e disse que “sempre contratou todo o insumo que a White Martins foi capaz de produzir”.

A secretaria afirma, ainda, que “sempre trabalhou” com previsão de maior demanda por oxigênio nesse período por causa da pandemia e da sazonalidade de outras síndromes gripais. Também diz que, até o último dia 7, “desconhecia” que “a capacidade máxima produtiva na planta de Manaus da White Martins era de cerca de 25 mil metros cúbicos por dia.

Ainda conforme a nota, em ofício enviado ao Comitê de Crise do governo, no último dia 9, a White Martins disse que sua planta operava no limite e classificou o momento como “sem precedentes”

WHITE MARTINS DIZ QUE PEDIDO FOI ATENDIDO
Questionada se teria capacidade de atender um pedido maior por oxigênio se ele tivesse sido feito em novembro, a White Martins respondeu que possuía a capacidade de buscar formas de viabilizar o aumento da oferta em patamares mais elevados, como está fazendo nesse momento e no período da primeira onda da pandemia.

Em nota, a White Martins explicou que ao longo de 2020 já havia passado por processos de ampliação para aumentar significativamente sua capacidade de produção local.

-É importante esclarecer ainda que, na data de 01/01/21, a planta da White Martins tinha em estoque produto suficiente para abastecer os hospitais da região pelo período de sete a oito dias de acordo com o consumo diário de dezembro de 2020 – detalhou.

*Estadão

Fonte: Pleno News

O médico pediatra e toxicologista Prof. Dr. Anthony Wong morreu nesta sexta-feira (15), após uma parada cardiorrespiratória. A assessoria de imprensa informou, em nota, que ele foi “internado antes do Natal com quadro de queda de pressão mal-estar”.

Ainda segundo o texto, Wong foi diagnosticado com úlcera gástrica e hemorragia digestiva. Durante a internação, ele “evoluiu com quadro de descompensação do padrão cardíaco e padrões de fibrilação atrial”.

Anthony tinha 73 anos e era diretor do Instituto da Criança, do Hospital das Clínicas da FMUSP e diretor do Instituto Brasileiro de Estudos Toxicológicos e Farmacológicos.

Confira, abaixo, a nota na íntegra:

Viemos informar que o médico pediatra e toxicologista Prof. Dr. Anthony Wong foi internado antes do Natal com quadro de queda de pressão mal-estar. Foi diagnosticado com úlcera gástrica e hemorragia digestiva. Durante a internação, evoluiu com quadro de descompensação do padrão cardíaco e padrões de fibrilação atrial. Veio a falecer no dia de hoje, após parada cardiorrespiratória. Que Deus conforte seus familiares e o receba em seus braços.

Fonte: Pleno News

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), afirmou que o governo federal não foi o culpado pelo colapso da saúde pública do estado por conta da pandemia de Covid-19. Em entrevista concedida para a jornalista Rachel Sheherazade, do site Metrópoles, Lima afirmou que a administração federal tem sido parceira no combate ao vírus.

– Recebemos do Governo Federal equipamentos como bombas e respiradores. Estamos sendo socorridos, nesse momento, com a questão das mini usinas, que estão chegando aqui no estado do Amazonas e serão instaladas nos hospitais. O Governo Federal tem sido um grande parceiro do estado do Amazonas no combate à pandemia – disse.

O gestor estadual atribuiu a parte da sociedade amazonense a culpa pelo aumento de casos e afirmou que as festas clandestinas registradas ao longo dos últimos meses foram determinantes para que os leitos dos hospitais chegassem ao máximo de lotação.

– Veja o que aconteceu agora, em relação às festas clandestinas. As pessoas ali na balada, bebendo, usando às vezes o mesmo copo, aquele copo que passa de boca em boca, e aí essa pessoa acaba levando o vírus para sua casa – afirmou.

Wilson também se defendeu de acusações sobre não ter se planejado para combater a nova onda da pandemia no estado e disse que se preparou “no que era possível”. O governador ainda disse que já acionou na Justiça as empresas que fornecem oxigênio para o estado para que elas sejam responsabilizadas.

– O estado do Amazonas se preparou em tudo aquilo que era possível. Eu recebi o comunicado de que faltaria oxigênio, efetivamente, que as empresas não teriam condições de abastecer na quantidade que a gente necessitava, durante a madrugada. E disseram que, dali cinco horas, teria hospital sem abastecimento – completou.

Fonte: Pleno News

A tentativa do apresentador Luciano Huck de “lacrar” nas redes sociais utilizando um panelaço contra o presidente Jair Bolsonaro não deu muito certo. Em suas redes sociais, Huck publicou um vídeo batendo uma panela e pedindo ajuda para o Amazonas com a #sosamazonas.

A iniciativa ocorreu após os hospitais de Manaus (AM) sofrerem com falta de oxigênio nesta quinta-feira (14), o que acabou levando vários pacientes à morte.

Críticos de Jair Bolsonaro culparam o presidente pela crise e organizaram um panelaço para esta sexta-feira (15). E um dos participantes foi Huck, que decidiu exibir seu ato nas redes sociais.

No entanto, o apresentador da Globo foi criticado por não fazer nada para ajudar na crise além de bater panela. Além disso, também foi chamado de oportunista.

 

Fonte: Pleno News
18
Jan / 2021

O Quilombo está de LUTO

Faleceu nesta data, aos 49 anos, no Hospital Roberto Santos em Salvador, o distinto cidadão morrense JOSÉ ORLANDO RODRIGUES DE OLIVEIRA, líder no Povoado de Barra II e Presidente da Associação dos Moradores da referida comunidade.
 
À família enlutada os nossos sentimentos.
GRUPO GENTE DE MORRO DO CHAPÉU (FACEBOOK)
 

A comunidade quilombola de Barra II, de Morro do Chapéu, perdeu hoje uma liderança que desempenhou um papel importante na luta pela certificação, titulação e de direitos para aquela comunidade!

Foram muitos momentos que compartilhei ao lado do meu irmão camarada Zé Orlando!

Fomos os primeiros a debater e trazer políticas públicas voltadas para os Quilombos de Morro do Chapéu dentro do TICD, CMDS, SEPROMI, CDA, INCRA e do conselho quilombola da Chapada Diamantina.

Perdi minha maior referência naquela comunidade e com as lágrimas caindo, externo aos familiares e toda comunidade de Barra os meus sinceros votos de condolências!

Vá na fé meu irmão camarada!

Fonte: Leo Ricardo Notícias

A gestão atual iniciou as obras de canalização e drenagem das nascentes localizadas no Alto da Chapada e Caixa D’água.
 
As águas que invadiam ruas e casas, desciam pela Joel Modesto, causavam transtornos ambientais, estruturais e biológicos, terão o seu curso natural regularizado.
 
As secretarias estão trabalhando de forma integrada a fim de solucionar da melhor forma possível esse sério problema que há anos aflige a população de Morro do Chapéu.
 
 
 
 
Facebook Prefeitura de Morro do Chapéu
‘O amanhã é agora’
 
Tocador de vídeo
Fonte: Leo Ricardo Notícias

O Lobo Guará nem deu as caras no bolso de muitos brasileiros que dirá de muitos morrenses e já está sendo falsificado.

Cabe esclarecer que a imagem do Lobo Guará está associada agora à nota (cédula) de R$200,00 – Duzentos Reais, nem sempre á disposição para boa parte das famílias brasileiras.

O grupo de whats app MEI’s de Morro do Chapéu fez circular o vídeo em que um comerciante mostra as diferenças que ele conseguiu observar entre a nota verdadeira e a nota falsa recebida por outro empresário do comércio local.

Como a nota foi passada numa sexta feira, o dia de maior movimento na cidade, por conta da feira livre, é notório que os elementos responsáveis pelo repasse ou derrame de notas falsas, aproveitam-se do movimento das lojas e da correria dos caixas e atendentes para aplicar o golpe, inclusive, utilizando-se da falta de atenção e do pouco conhecimento de pessoas idôneas para que estas levem a culpa. Portanto, atenção e chamar a polícia para identificar os repassadores é a melhor sugestão, apesar do prejuízo, além de preferir receber notas de menor valor, também menos utilizadas para o golpe.

Fonte: Leo Ricardo Notícias

A TV Morrense recebeu na tarde deste sábado (16/01), o contato de uma senhora por nome de Marta que reside em Goiânia – GO.
Segundo dona Marta uma senhora por nome de Eva Alves de Souza está internada em um hospital de Goiânia e não tem parentes na cidade ou no estado.
A direção do hospital está a procura de familiares de dona Eva haja visto que o seu esposo que era quem cuidava dela faleceu a pouco tempo e o mesmo cuidava de dona Eva.
Não há informações de nomes de parentes de dona Eva, tudo que se sabe que ela é natural de Morro do Chapéu e foi embora com 11 anos, o que se sabe é que ela tem irmãos não se sabe se em Morro do Chapéu ou em outra cidade.
Dona Eva não tem filhos por isso dona Marta que é amiga dela há mais de 26 anos busca familiares que possam cuidar dela.
Por enquanto dona Eva econtra-se internada. A mesma tem dificuldades de locomoção e está sob a tutela da justiça até que se encontre um parente que possa cuidar dela.
abaixo você pode ouvir o áudio que dona Marta amiga de dona Eva mandou para nossa redação.
Fonte: Bahia Notícias

A Secretaria Municipal de Saúde (SESAU), através da Vigilância Epidemiológica, torna público o boletim diário com as informações sobre a situação epidemiológica da COVID-19 em Morro do Chapéu.

Após análise epidemiológica do município, atual conceito de ativos adotado pela gestão se diferencia do conceito adotado pelo Ministério da Saúde, no qual só considera casos ativos, aqueles casos confirmados (positivos) que estão em período de transmissão da doença.

Sabendo do atraso nos resultados dos exames RT PCR, o novo conceito adotado pelos técnicos da vigilância epidemiológica do município inclui além dos casos confirmados que estão ativos, também os casos suspeitos que estão em período de transmissão da doença. Desta maneira expressa a real situação de transmissão da doença no município

A SESAU informa que a diferença entre os casos confirmados e a soma de casos recuperados e óbitos, expressará apenas uma parte dos casos ativos e não inclui os suspeitos também ativos.

Informamos também, com pesar, que hoje 16/01/2021, confirmamos um óbito ocorrido em outro município, por complicações da COVID-19. A Secretaria de Saúde e a Vigilância Epidemiológica se solidarizam com a família.

Fonte: Leo Ricardo Notícias

O Ministério Público estadual ajuizou ação civil pública contra o município de Morro do Chapéu para garantir a implementação de uma política de educação ambiental na cidade. Segundo o promotor de Justiça Pablo Almeida, autor da ação, o município de Morro do Chapéu é um dos mais ricos da Bahia em sítios arqueológicos e de pinturas rupestres, bem como na área de patrimônio cultural, contando com três unidades de conservação estaduais – o Monumento Natural da Cachoeira do Ferro Doido, o Parque Estadual de Morro do Chapéu e a Área de Preservação Permanente (APA) Gruta dos Brejões. “Por isso é extremamente importante o desenvolvimento de ações concretas na área de educação ambiental”, destacou o promotor de Justiça.

Na ação, o MP requer que a Justiça obrigue o município de Morro do Chapéu a manter o Conselho Municipal de Meio Ambiente em funcionamento e atuante, fixando-se o prazo de 30 dias para implementação e reuniões, pelo menos, bimestrais, bem como garantir a capacitação continuada dos conselheiros municipais de meio ambiente. Além disso, requer que o Município garanta a participação da Secretaria de Educação no Conselho Municipal de Meio Ambiente, no prazo imediato após a regularização de funcionamento do Conselho; que elabore diagnóstico municipal de educação ambiental, de forma participativa, com o objetivo de mapear as ações e projetos de educação ambiental, no prazo de 180 dias; e firme parcerias entre secretarias municipais, com o órgão ambiental estadual e com organizações da sociedade civil para implementação do programa municipal de educação ambiental, no prazo de 180 dias.

“Identificamos diversas irregularidades no sistema de educação ambiental, dentre elas a ausência de Programa Municipal de Educação Ambiental, de realização de Conferências Municipais de Meio Ambiente, de dotação orçamentária específica para ações de educação ambiental e ausência da participação da Secretaria de Educação no Conselho, dentre outras”, destacou Pablo Almeida. Na ação, ele requer ainda que o Município designe dotação orçamentária, anualmente, para o desenvolvimento de programas, projetos e ações de educação ambiental, a partir de 2022; e aprove o Plano Municipal de Educação Ambiental no prazo de 180 dias, devendo sempre incluir a educação ambiental nos próximos Planos Municipais de Educação, a partir do ano de 2024.

Fonte: Leo Ricardo Notícias

Fonte: Publicidade

Um menino de 2 anos ficou com uma panela presa na cabeça enquanto brincava em casa. O episódio aconteceu em Ouro Preto do Oeste, Rondônia, nesta quinta-feira (14). A mãe de Pietro Henrique, Thaysla Silva, precisou chamar o Corpo de Bombeiros.

– Ele estava brincando e tive que ir na vizinha para fazer uma ligação, porque o meu telefone tinha estragado, e simplesmente ele pegou um caneco e botou na cabeça – explicou a mãe.

Os bombeiros precisaram utilizar uma ferramenta de corte para retirar a panela da cabeça da criança.

– Quando nós constatamos que não havia como retirar a panela da cabeça da criança, utilizamos as ferramentas de corte e pedimos para que a mãe segurasse a criança – contou o bombeiro.

Pietro não ficou com nenhum tipo de machucado no rosto. O pequeno será avaliado por um médico neurologista na capital.

– O Pietro é uma criança especial; ele toma remédio controlado. Ele é muito imperativo. Ele ‘tá encaminhado para o neurologista em Porto Velho, mas devido às condições que a gente não tem, a gente não levou ainda – explicou a avó da criança.

Fonte: Pleno News

O Seguro Desemprego foi reajustado devido à alta de 5,45% no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) no ano de 2020. Dessa forma, o valor máximo do auxílio subiu para R$ 1.911,84, número que representa R$ 98,81 a mais que o anterior, de R$ 1.813,03. Com a mudança, o benefício passa a variar de R$ 1.100 a R$ 1.911,84, de acordo com o salário do empregado. O valor máximo é concedido apenas a trabalhadores que recebiam mais de R$ 2.811,60.

A correção foi anunciada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ela já está valendo para as novas solicitações do benefício e também para pedidos que já foram liberados. No último caso, entretanto, são corrigidas apenas as parcelas que faltam e que foram emitidas depois que o ajuste entrou em vigor.

Com a alteração, o cálculo do seguro fica da seguinte forma:

  • Para salários médios de até 1.689,79, multiplica-se o valor por 0,80 (80%).
  • Para salários médios entre R$1.686,80 a R$ 2.811,06, o que exceder ao valor de 1.689,79 é multiplicado por 0,5 (50%) e somado a R$ R$ 1.349,43.
  • Para salários médios acima de R$ 2.811,60, o valor será de R$ 1.911,84, invariavelmente.

O número de parcelas está diretamente relacionado ao tempo trabalhado. No caso de 6 meses de carteira assinada, o benefício será de 3 parcelas, enquanto 12 meses dá direito a 4. A partir dos 24 meses trabalhados, o beneficiado recebe o auxílio durante 5 meses. Durante o período, ele não pode receber outro auxílio trabalhista nem ter participação societária em empresas.

Para dar entrada no seguro pela primeira vez, é necessária atuação profissional em regime de CLT por ao menos 12 meses. Para a segunda solicitação, no mínimo 9 meses trabalhados são requeridos. Da terceira em diante, é exigido 6 meses de vínculo profissional. O intervalo entre os pedidos devem ser de no mínimo 16 meses.

QUEM TEM DIREITO?
Trabalhadores em regime de CLT que forem dispensados sem justa causa têm direito ao Seguro Desemprego. A dispensa indireta, que ocorre nos casos em que a quebra de vínculo é motivada por falta grave do empregador sobre o empregado, também dá direito ao auxílio.

Além desses casos, estão inclusos: trabalhadores formais com contrato suspenso por participação de curso ou programa, pescador profissional durante o período do defeso e empregados resgatados de condições semelhantes às de escravo.

 
Fonte: Pleno News

O militar da Marinha, Israel Corrêa, que foi morto por dois bandidos em tentativa de assalto em Madureira na quarta-feira (13), era muito ligado à fé cristã. Compositor e cantor evangélico, ele participava de um grupo gospel chamado Somos Maranata Louvor, e era membro da Assembleia de Deus de Marechal Hermes. Ele viveu seus 28 anos em prol de sua família, de sua fé e de sua carreira como militar.

– Era um músico de mão cheia, guitarrista, tocava violão. Ele compôs uma música no ano passado, nós [a] gravamos e colocamos no Youtube. Vai ficar eternizado como homenagem a ele, e é o legado que ele deixa para gente. Uma pessoa amorosa e muito gente boa – afirmou o primo, Wilson Leal, baterista do grupo.

FAMÍLIA DIZ QUE PERDOA OS CRIMINOSOS
Seguidores dos ensinamentos de Jesus, a família de Israel, que esteve na manhã desta quinta-feira no Instituto Médico Legal (IML) para reconhecer o corpo, disse que perdoa os criminosos apesar da dor da perda. Israel Corrêa era filho único.

– A família perdoa; a família ama. A família tem seus ideais com base naquilo que ensina a Palavra de Deus. Esperamos que essas pessoas se voltem para Deus e passem a encontrar a paz. É isso que nós temos como objetivo. Não temos rancor ou ódio. Fica a tristeza pelo filho maravilhoso que Israel sempre foi – lamentou o pai, Marcelo Correa.

– A gente fica preocupado com [a] Covid, com outras coisas, mas uma barbaridade dessa a gente jamais espera que vai acontecer com alguém próximo de nós. Com a fé que temos em Cristo, a gente fica chateado, mas pedimos a Deus para que quem cometeu essa ação possa ter a oportunidade de se regenerar – disse também o primo, Wilson Leal.

Israel saía do curso de formação para Sargento, no Centro de Instrução Almirante Alexandrino, na Penha, quando foi abordado por dois bandidos em uma moto na Avenida Ministro Edgar Romero, na noite de quarta-feira. Ele se assustou com os criminosos e acabou atingido por um tiro, morrendo no local. Outros dois amigos que estavam de carona no banco traseiro do Renault Duster Preto não foram feridos.

Os assaltantes seguem foragidos, e a polícia busca informações que ajudem na identificação dos suspeitos. O Disque Denúncia recebe informações anônimas por meio do telefone (21) 2253-1177 e via aplicativo. Já o Portal dos Procurados pode ser contatado via Whatsapp (21 98849-6099) ou mensagens privadas no Facebook e Twitter.

Fonte: Pleno News

O presidente Jair Bolsonaro voltou a tecer duras críticas ao presidente da França, Emmanuel Macron, durante sua tradicional live, transmitida na noite de quinta-feira (14). Durante um comentário sobre uma declaração do chefe de Estado francês a respeito do desmatamento no Brasil, Bolsonaro disse que Macron não conhece nem o próprio país.

– A França produz de soja 20% do que a cidade de Sorriso produz aqui, em Mato Grosso. Fica falando besteira aí, ô, seu Macron, não conhece nem o seu país. Fica dando “pitaco” aqui, no Brasil – declarou.

Bolsonaro prosseguiu em sua fala criticando o fato de que Macron tem feito “campanha contra o Brasil”. Além disso, o presidente afirmou que a França tem mais problemas com o meio ambiente do que o Brasil e disse que daria “mudas de árvores” brasileiras para que fossem replantadas em território francês.

– Não tem que dar dinheiro a nós, não. Nós vamos dar mudas de árvores para você replantar, reflorestar aí. Quer reflorestar seu país? Estamos à disposição para colaborar nesse sentido. Nós temos muda para isso daí, pô. Agora fica o tempo todo mentindo pra nós, mentindo, pregando contra o Brasil – completou.

A subida de tom de Bolsonaro contra Macron foi motivada por uma declaração feita pelo francês na última terça-feira (12). Na ocasião, o presidente da França disse que os europeus teriam que produzir a própria soja.

– Quando os países europeus importam soja produzida em florestas destruídas no Brasil, não estão sendo coerentes – disse Macron.

Fonte: Pleno News

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), voltou a culpar e responsabilizar o governo federal, o presidente Jair Bolsonaro e o Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, pelo colapso da saúde pública em Manaus, capital do Amazonas. Segundo Doria, “Manaus é resultado da política caótica da saúde pública do governo federal”.

– Não é razoável imaginar que uma situação de caos, como vive a capital manauara, seja debitada na conta de um prefeito ou de um governador. Temos um governo federal para quê? Temos um Ministério da Saúde para quê? Para acusar prefeitos e governadores, ou para agir em defesa e proteção da saúde e da vida de todos os brasileiros em qualquer parte do país? Tenho a impressão [de] que o governo Bolsonaro gosta do cheiro da morte, e não de celebrar a vida, pois, se quisesse celebrar a vida, já teria contribuído com o estado do Amazonas. –, afirmou Doria.

Na quinta-feira (14), a capital do Amazonas enfrentou o esgotamento do oxigênio envasado em hospitais da redes pública e privada e, consequentemente, a morte, por asfixia, de dezenas de pacientes em estado grave.

Segundo anunciou Bolsonaro, as Forças Armadas se mobilizam para restabelecer a oferta dos insumos, bem como preparam um hospital de campanha para auxiliar na demanda dos serviços hospitalares. Governadores também fizeram oferta de leitos e de respiradores para auxiliar o governo local.

*Estadão

Fonte: Pleno News

Um valor que salta aos olhos! Quem leu o título desta reportagem pode não acreditar que o Amazonas vive um colapso na saúde, logo no início de 2021, com tantos recursos federais recebidos no último ano. Foram exatamente R$ 8,91 bilhões de reais transferidos pela União só para o estado do Amazonas.

O valor, que consta no Portal da Transparência do governo federal, é suficiente para que se comprasse mais de 20 milhões de cestas básicas ou se pagasse 50 salários mínimos a mil pessoas por 162 meses. O valor, entretanto, parece não ter sido suficiente para que o governo amazonense se planejasse para combater a nova onda de Covid-19.

Dos quase R$ 9 bilhões transferidos ao estado, 69% (ou R$ 6,1 bilhões) foram de repasses constitucionais, como o do Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal (FPE) e o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, o Fundeb, além de royalties.

Dos poucos mais de R$ 6 bilhões, 55% (ou R$ 3,3 bilhões) foram direto para a administração estadual, enquanto os outros 45% (ou R$ 2,7 bilhões) foram encaminhados para as administrações municipais.

Além dos repasses constitucionais e de royalties, o governo federal também repassou outros R$ 2,8 bilhões entre despesas legais, voluntárias e específicas. Destes, R$ 195,3 milhões foram para os cofres estaduais e R$ 419 milhões para os municipais. A maior parte, R$ 2 bilhões, foi transferida para fundos públicos.

Fonte: Pleno News

Em conversa com apoiadores nesta sexta-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro comentou a situação “terrível” em Manaus, mas lembrou que o governo federal “fez sua parte, com recursos, meios”. Ele afirmou que o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, esteve no Amazonas nesta semana e providenciou cilindros de oxigênio para o estado.

Manaus passou por graves problemas nesta quinta-feira (14), quando os estoques de oxigênio dos hospitais se esgotaram, o que levou vários pacientes a morrer por falta de ar. Ao comentar a situação, Bolsonaro falou sobre as ações do governo federal.

– A gente está sempre fazendo o que tem que fazer, né? Problema em Manaus; terrível o problema lá. Agora, nós fizemos a nossa parte, com recursos, meios. Hoje as Forças Armadas ocupam um hospital de campanha. O ministro da Saúde [Eduardo Pazuello] esteve lá na segunda-feira, providenciou oxigênio, começou o tratamento precoce, que alguns criticam ainda – ressaltou.

O presidente também voltou a defender o tratamento precoce contra a Covid-19.

– O médico pode receitar o tratamento precoce. Se o médico não quiser, procure outro médico. Não tem problema. Repito o tempo todo aqui: no meu prédio, mais de 200 pessoas pegaram a Covid, [elas] se trataram com cloroquina e ivermectina. Ninguém foi para o hospital […] E não tem efeito colateral. Alguns ficam falando: “Ah, a ciência”. Calma, rapaz, esses medicamentos, [como] a hidroxicloroquina, são [usados há] 70 anos, não têm efeito colateral. Se não surtir efeito [contra a covid], não vai acontecer nada para ele – destacou.

Fonte: Pleno News

Diante da grave crise de saúde vivida no Amazonas neste início de ano, em razão da pandemia de Covid-19, muitas pessoas começaram a se questionar sobre o uso dos valores repassados pelo governo federal ao estado para combate ao vírus.

Ao todo, somente durante o ano de 2020, o estado recebeu um total de R$ 8,91 bilhões em recursos transferidos pela União para usos diversos. A capital Manaus, por sua vez, teve acesso a R$ 2,36 bilhões do governo federal. Desses repasses, alguns foram direcionados especificamente para uso na área de saúde.

RECURSOS PARA O COMBATE DA COVID-19
Não apenas o Amazonas, como todas as 27 unidades da federação e os municípios, foram atendidos com o Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus, que repassou um total de R$ 60,1 bilhões, abertos por meio de uma medida provisória editada em 4 de junho pelo presidente Jair Bolsonaro.

Os dados que constam no painel do Orçamento do governo federal e no portal da transparência do Amazonas, porém, mostram uma diferença discrepante de mais de R$ 600 milhões entre o valor que foi enviado pela União e o que o estado declara ter recebido.

Em uma consulta feita pelo Pleno.News ao painel do Orçamento Federal, nesta sexta-feira (15), a União registrou que, em 2020, o total de valores pagos ao Amazonas, referentes ao Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus, foi de R$ 884,9 milhões.

União declarou repasse de R$ 884 milhões ao Amazonas Foto: Reprodução

Contudo, no “outro lado da linha”, o portal da Transparência do Amazonas declarou como receita recebida da União um valor completamente diferente. Apesar de dizer que os dados estão atualizados até esta sexta-feira (15), a página diz que o estado recebeu apenas R$ 267 milhões, uma diferença de R$ 617 milhões, ou 69,79%.

Amazonas diz que só recebeu R$ 267 milhões do programa federal Foto: Reprodução

DENÚNCIAS CONTRA O GOVERNADOR DO AMAZONAS
Wilson Lima (PSC), atual governador do estado, é do mesmo partido que o governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, e também esteve envolvido em polêmicas, denúncias de corrupção e pedidos de impeachment durante a pandemia.

Em abril do ano passado, o Sindicato dos Médicos do Amazonas protocolou um pedido de impeachment contra Wilson e seu vice, Carlos Almeida, por acusação de crime de responsabilidade. O pedido, porém, foi arquivado oficialmente na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), por 12 votos a 6, em agosto de 2020.

Em 16 de dezembro do ano passado, o Sindicato dos Médicos protocolou um novo pedido de impedimento contra o governador, ainda não analisado pelos parlamentares. Na ação, a entidade citou “farta comprovação da prática de crime de responsabilidade e improbidade administrativa”.

Entre as polêmicas levantadas contra o gestor estadual, uma chamou a atenção, pela total falta de lógica em um dos contratos do governo do Amazonas, um pagamento de R$ 2,9 milhões a uma loja de vinhos por 28 ventiladores pulmonares para tratar de infectados pelo novo coronavírus.

O valor unitário do item equivalia a até quatro vezes o preço do aparelho visto em lojas no Brasil e no exterior. Além do valor, os equipamentos eram considerados “inadequados” para pacientes de Covid-19, segundo o Conselho Regional de Medicina do Amazonas (Cremam).

O QUE É O PROGRAMA FEDERATIVO
O Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus, aprovado pelo Senado, consistiu na prestação de um auxílio financeiro no valor de R$ 119,8 bilhões concedido aos estados, ao DF e aos municípios para o combate à pandemia da Covid-19.

Foram repassados R$ 60 bilhões, divididos em quatro parcelas mensais, sendo R$ 10 bilhões exclusivamente para ações de saúde e assistência social (R$ 7 bilhões para os estados e R$ 3 bilhões para os municípios) e R$ 50 bilhões para uso livre (R$ 30 bilhões para os estados e R$ 20 bilhões para os municípios).

A divisão por estado foi feito em função de uma cesta de índices, que abarcou desde a arrecadação do ICMS até a sua população. O rateio entre os municípios, por sua vez, foi calculado pela divisão dos recursos por estado (excluindo o DF), usando os mesmos critérios.

Além do repasse dos R$ 60 bilhões aos estados, ao DF e aos municípios, o restante do valor total concedido de R$ 119,8 bilhões decorre da suspensão de dívidas.

Fonte: Pleno News
  Curta nossa página
  PUBLICIDADE

| Todos os Direitos Reservados |